Buscar
  • Dr. Tiago Araújo

Os 12 fatores de risco que podem ser prevenidos nas demências e Alzheimer



Com os avanços da medicina e o aumento da longevidade temos visto também o aumento importante de pacientes com demências e Alzheimer.


Existem dados como idade, genética e sexo, que não temos como modificar; porém há 12 importantes fatores de risco passíveis de prevenção, segundo os estudos mais recentes. Vamos conversar um pouco sobre eles.


1) Nível educacional - quanto maior número de anos estudados maior reserva cognitiva! Ou seja, estudar (há qualquer idade) é um fator PROTETOR para o declínio cognitivo..


2) Hipertensão - a famosa e comum pressão alta é um dos fatores mais envolvidos no envelhecimento cerebral e surgimento das demências. Um simples check-up e o cuidado correto da sua pressão arterial podem te ajudar na prevenção deste problema assim como de outras doenças como AVC e infarto.


3) Tabagismo - fumar comprovadamente aumenta o risco do surgimento de demências assim como outras doenças como câncer, infarto e AVC. Parar de fumar não é algo tão simples mas existem hoje medicações que podem nos ajudar nesta batalha.


4) Obesidade - outro fator de risco extremamente comum na nossa sociedade atual. Há uma relação direta entre obesidade e declínio cognitivo. Perder peso, inclusive por meio de cirurgia bariátrica, comprovadamente melhora o desempenho cerebral.


5) Diabetes - outra campeão nos consultórios. Também fácil de se diagnosticar por meio de um check up. Os cuidados adequados da sua glicemia são fundamentais na prevenção do envelhecimento cerebral e das demências.


6) Sedentarismo - sim! Eu sempre falo muito aqui na internet e também no consultório sobre a importância das atividades físicas em nossas vidas. O sedentarismo comprovadamente aumenta o risco de demências como o Alzheimer e mais inúmeras doenças. Caminhadas de 30 a 40 minutos ao dia (exercícios aeróbicos em geral) são grandes aliados para nossa saúde.


7) Deficiência auditiva - essa é novidade para muita gente. Também há comprovação de que a surdez aumenta doenças como depressão e demências! O fato do paciente ter dificuldade em ouvir e compreender o que se fala, ao longo do tempo, compromete outras várias vias cerebrais e por fim pode contribuir com o surgimento das demências.


8) Baixo contato social . Esse fator de risco é notável e infelizmente aumentou muito agora devido a pandemia. O ser humano é um ser social; a falta de contato, o isolamento, a solidão, comprovadamente estão ligadas ao surgimento de quadros como depressão e demências, como o Alzheimer.

9) Depressão. Algo que já sabíamos na prática possui, agora, evidência científica. A depressão, principalmente crônica, é um GRANDE fator de risco para o surgimento de demências. É fundamental estarmos com a saúde mental em dia.


10) Consumo excessivo de álcool é outro grande vilão para o nosso cérebro. Pacientes que ingerem álcool cronicamente possui um risco elevado de perda de memória e surgimento de demência.


11) Traumatismos cranianos. Este é um fator que foi descoberto mais recente. Pacientes com história de traumas de crânio mais importantes ou que sofrem "pancadas" com frequência (lutadores, jogadores de futebol americano, etc) estão no grupo de risco de evoluir com um quadro demencial.


12) Poluição! Deixei por último por ter sido o último fator comprovado e que preocupa a todos nós! Regiões com maior poluição possui estatisticamente mais pessoas com síndromes demenciais!

Juntando todos estes fatores acima e os modificando conseguiríamos reduzir em até 40% o número de pessoas com demências no mundo! Temos, hoje, mais de 70 milhões de pessoas vivendo com demências como a doença de Alzheimer no mundo; é inacreditável pensar que as modificações acima poderiam reduzir esse número de forma tão grande (seriam mais de 30 milhões de vidas modificadas)!


Espero que agora você pense em tudo o que citei acima e comece uma mudança em si e em toda sua família! Compartilhe esse texto e vamos, juntos, tentar modificar o nosso envelhecimento.


Dr Tiago Araújo, neurologista em Curitiba

#alzheimer #demência #demencias #saúde #saude #neurologia #neurologista

263 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo