Tenho tremores, é parkinson?

Quando estou diante de uma pessoa com tremores a principal ansiedade do paciente é em relação a doença de Parkinson. O Parkinson é uma das causas de tremor mas não é a única.


Assim como dores de cabeça e tonturas podem ser divididas em várias causas (clique aqui para ver os tipos de dor de cabeça e as causas de tontura), os tremores também possuem inúmeras causas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tremor fisiológico:


Existe um tremor chamado fisiológico que é totalmente benigno; todos nós podemos ter um leve tremor diante de situações como eventos estressantes (dar uma palestra, falar em público), abuso de cafeína, noites mal dormidas, estresse. Este tremor nos acompanha por toda a vida e raramente precisa de tratamento.

 

Tremor essencial:


Também, muito comum. O tremor essencial tem como característica ser bilateral (duas mãos), eventualmente acometer a cabeça (movimentos de sim ou de não), piorar diante de episódios que gerem ansiedade. Ele é um tremor com um componente genético muito forte; costuma surgir já na adolescencia ou idade adulta jovem (mas pode surgir a qualquer idade); pode piorar ao longo dos anos, principalmente após os 50 anos. Curiosamente alguns pacientes apresentam melhora deste tipo de tremor após ingestão de bebidas alcoólicas. 

Apesar de ser benigno o tremor pode atrapalhar muito a vida do paciente; deixa-lo desconfortável diante de pessoas e também dificultar atividades manuais. Felizmente existem medicações muito eficazes para tratar este tipo de tremor.

 

Ansiedade:


Pacientes em tratamento para depressão e ansiedade também podem apresentar tremores; tanto devido a própria doença quanto devido ao efeito colateral de medicações antidepressivas e ansiolíticas. Nestes casos precisamos entender o sintoma e ajustar a medicação para controle do tremor.

 

Doença de Parkinson:


O tremor na doença de Parkinson costuma ser diferente dos outros que citei. Sua origem é unilateral (começa acomentendo apenas uma mão, por exemplo); é pior, inicialmente, no repouso (com o braço parado) e associa-se com lentidão do membro acometido. Com o tempo tende a progredir para outros membros, piorar a lentidão e a rigidez. Geralmente surge após os 50 anos de idade e não costuma ter fatores hederitários associados (exceto em formas raras). O tremor é uma das manifestações do Parkinson, mas não a única. Saiba mais sobre a doença clicando aqui.


Outros tipos de tremor:

 

Existem diversos outros tipos de tremor; eles são mais raros e costumam ter outros sinais e sintomas associados.


Tremor pós AVC (derrame); quando a região afetada do cérebro - que sofreu o avc - faz parte da via de controle do movimento (no nosso cérebro cada região controla especificamente alguma parte ou função do nosso corpo), pode ocorrer tremor. O mesmo mecanismo pode ocorrer nos tremores associados a Esclerose Múltipla.


Tremor por doenças hereditárias; ataxia espinocerebelar e outras doenças de ordem hereditária (passam de pais para filhos) podem ser manifestar com tremores e vários outros achados ao exame neurológico. A dica sempre é a história familiar do paciente associado a idade de surgimento e progressão dos sintomas.


Tremor distônico; pacientes com distonia (contrações musculares patológicas) podem apresentar tremores tarefa-específicos (só tem o tremor quando fazem determinado movimento com a mão ou braço, por exemplo). 


Abstinencia por alcool, drogas, cafeína; doenças clínicas como alterações da tireóide, diabetes; efeito colateral de medicações; todos estes problemas também podem causar tremor.

Ou seja: o especialista precisa avaliar o paciente como um todo, sua história prévia, história familiar, origem do tremor; também é de suma importância o exame neurológico (exame físico minuncioso feito no consultório) para entender como é o tremor e como ele se manifesta (cada tremor tem sua própria característica, alguns ocorrem só ao repouso, outros só com o movimento, alguns são rápidos outros mais lentos, etc).


Quando devo me preocupar?


Idealmente sempre que temos um tremor é importante uma avaliação neurológica; porém certos casos nos deixam mais preocupados e exigem uma investigação mais precoce:

 

  • Tremores que não existiam e começam de maneira súbita.

  • Sintomas associados como lentidão, confusão mental, paralisia ou formigamentos

  • Tremores que se iniciaram após os 50 anos.

 

Nestes casos deve-se marcar uma consulta com o neurologista o mais rápido possível. Nos demais casos é importante uma avaliação mas não possui tamanha urgência.


Resumindo: nem todo tremor é Parkinson! Existem inúmeras formas de tremor e todas elas possuem tratamento. Procure sempre um neurologista de sua confiança para ter o diagnóstico, orientação e tratamento adequado.

Dr. Tiago F. Souza de Araújo, neurologista em Curitiba

Principais causas de tremor

Tremor fisiológico

Tremor essencial

Doença de Parkinson

Uso de medicações

Doenças clínicas (tireóide, diabetes)

Abstinência de medicações, alcool e drogas

Tremores hereditários.

Tremor distônico

Tremor pós AVC

Tremor por esclerose múltipla

Dúvidas? Deixe aqui suas perguntas e comentários.