Você tem enxaqueca?

Todos nós já ouvimos falar de alguém próximo que sofre de enxaqueca. Estima-se que até 15% da população brasileira ( mais de 30 milhões de pessoas ) tenha este problema! É importante lembrar que nem toda dor de cabeça é enxaqueca. Clique aqui para conhecer outros tipos de dor de cabeça!


 

 

 

 

A enxaqueca é na maior parte das vezes um distúrbio genético ( um estudo recente, de 2018, nos ensinou muito sobre isso ); ou seja, geralmente nossos pais ou avós já apresentavam os sintomas da doença. Outros fatores conhecidos para risco de crises de enxaqueca são o sexo - mulheres tem até 4x mais enxaqueca que homens; faixa etária dos 20-40 anos ( coincidente com o período menstrual feminino - o que comprova a relação hormonal ).

Aura de enxaqueca?

Bom, agora que já sabemos o que é enxaqueca e quais são as principais causas das crises, vamos falar um pouco sobre as famosas auras.


Você que sofre de enxaqueca e consegue "prever" que uma crises irá começar daqui alguns minutos; isso é a tal da aura!


A aura de enxaqueca ocorre em até 25% dos casos; ela pode ocorrer das formas mais diversas. Dentre as mais comuns estão os pontos brilhantes ou escuros na visão, formigamentos no rosto ou no corpo, sensação de tontura e enjoos. A aura geralmente vem alguns minutos antes de começar a dor de cabeça propriamente dita. Existe um tipo especial de aura onde a pessoa chega a perder os movimentos de um lado do corpo e, até mesmo, perder a fala por alguns minutos ( inclusive se parece muito com um AVC - derrame ).


Sabemos que a enxaqueca com aura é uma forma mais grave da doença e que merece ainda mais atenção!

 

Enxaqueca crônica?

Outra coisa que quero comentar: a enxaqueca possui duas classificações importantes que nos ajudam a guiar o tratamento.


 - Enxaqueca episódica ( crises de enxaqueca que não ocorrem com tanta frequência  e que geralmente são causas por fatores desencadeantes que podem ser prevenidos )
 

- Enxaqueca crônica ( mais de 15 dias por mês com dores, durante pelo menos três meses )
 

O problema da enxaqueca crônica é que a pessoa sofre tanto que começa a abusar de analgésicos; tem pessoas que tomam remédios para dor todos os dias! Aí começamos a ter um novo problema: a dor de cabeça causada pelo abuso de analgésico.

 

E o tratamento doutor? A enxaqueca tem cura?


Primeiro a notícia ruim: enxaqueca, ainda, não tem cura. Mas calma lá, tem tratamento ( e o tratamento tem avançado muito! )


Inúmeras medicações podem ser usadas para tratamento da enxaqueca. Existem duas linhas que podemos seguir. O tratamento somente das crises ( para pessoas que tenham poucas crises ) ou o tratamento preventivo/profilático ( usar remédio todos os dias para evitar que as crises apareçam ).


O tratamento agudo, das crises, pode ser feito com triptanos ( naratriptano, sumatriptano, rizatriptano ), ergotamínicos ou antiinflamatórios. A escolhe depende do perfil do paciente, da presença ou não de aura, da presença ou não de alodínia ( sensibilidade na pele - pessoas que junto com as crises de dor na cabeça ficam com a pele do crânio sensível ) e interação com medicamentos que a pessoa já toma. Ou seja, não é uma escolha simples e não deve ser feita no balcão da farmácia, pois todas as medicações acima tem riscos!
 

Já o tratamento crônico, preventivo, pode ser feito com inúmeras medicações. Não se assuste se seu neurologista te receita um antidepressivo, anti-hipertensivo ou até mesmo um anti-epilético! Essas medicações, em doses corretas, podem e são muito usadas para prevenir enxaqueca ! ( temos que lembrar que dentro do nosso cérebro tudo funciona na base da química, então, uma medicação que atue em neurotransmissores pode ser usada para diversas doenças ). Das mais comuns que temos hoje em dia: topiramato, ácido valpróico, amitriptilina, nortriptilina, propranolol.


Outra opção muito legal para quem sofre de enxaqueca e não tolera ou não responde aos remédios que citei acima é o uso do botox ( toxina botulínica ). Sim! O mesmo botox que algumas pessoas usam para estética pode ser usada para tratar enxaqueca! E digo mais, com bastante sucesso! 


Agora, 2019, chegou também ao Brasil um novo medicamento chamado Passurta ( no mercado americano se chama Aimovig ). É uma medicação de uso injetável mensal. É a primeira droga que atua especificamente no mecanismo da enxaqueca e, por isso, apresenta pouquíssimos efeitos colaterais e um sucesso bem bacana no tratamento!

 


Se você sofre de enxaqueca ou conhece alguém que sofre, compartilhe este texto. A informação é a chave para um melhor tratamento!

Quer conhecer mais sobre outros tipos de dor de cabeça? Clique aqui e leia nosso artigo!


Dr .Tiago F. Souza de Araújo, neurologista em Curitiba

A enxaqueca ( também conhecida como migrânea ) é um dos subtipos de dor de cabeça ( clique aqui para saber mais sobre outros tipos de dor de cabeça ). Ao falarmos em enxaqueca temos algumas condições especiais:

  1.  Dor forte, geralmente pulsátil ( latejante )

  2.  Um lado da cabeça é mais comumente afetado ( embora possa ter dor na cabeça toda )

  3.  Náuseas e vômitos durante as crises.

  4.  Luz, barulho e cheio são incômodos ( o que chamamos de fotofobia, fonofobia e osmofobia ).

  5. Dor incapacita a pessoa de fazer suas atividades rotineiras ( diferente da cefaléia tensional, onde, mesmo com a dor, a pessoa ainda consegue continuar trabalhando e estudando )

  6.  A dor pode durar entre quatro horas até três dias!

Quem tem enxaqueca sabe que certos fatores podem desencadear crises! Vamos enumerar a baixo os mais comuns.

  1. - Alimentação ( chocolate, cafeína, fritura, comidas gordurosas, vinhos, queijo, bebidas alcoólicas em geral )

  2.  Perfumes e cheiros fortes 

  3.  Alterações de sono ( dormir demais ou insônia )

  4.  Estresse e ansiedade

  5. Mudanças abruptas na rotina

Enxaqueca Curitiba - neurologista e curitiba
Tratamento de enxaqueca em Curitiba

Dúvidas? Deixe aqui suas perguntas e comentários.